5 curiosidades que você não sabia sobre o futebol nas olimpíadas

Fique com a gente para saber todos os detalhes da história do futebol nas Olimpíadas, as maiores zebras e fatos inusitados que aconteceram no futebol olímpico

 

1-As maiores campeãs no futebol masculino nas olimpíadas

Os maiores campeões do futebol nas olimpíadas são a Grã-Bretanha (1900, 1908 e 1912) e a Hungria (1952, 1964 e 1968), ambos com 3 vitórias. Em seguida vêm a Argentina (2004 e 2008), o Uruguai (1924 e 1928) e a União Soviética (1956 e 1988), com duas medalhas de ouro olímpicas cada.

Pode surpreender a muitos quando você considera que o Brasil já viu este ser considerado o país do futebol, não entre os cinco primeiros. Por outro lado, existem outras nações que atualmente não são muito conhecidas no mundo de futebol, mas tem um bom quadro de medalhas (como a Hungria e a União Soviética).

Mas não podemos esquecer que o futebol se desenvolveu muito mais rápido na Europa do que em outras partes do mundo.

 

2-A primeira sede da Copa do Mundo

De 1900 (ano em que o futebol entrou nos Jogos Olímpicos) a 1928, o campeão olímpico foi considerado campeão mundial de futebol. Em 1928, porém, o presidente da FIFA, Jules Rimet, anunciou em uma conferência em Amsterdã que lançaria um torneio separado para as seleções nacionais.

Dois fatores favoreceram o Uruguai na escolha do país-sede em 1929. O primeiro, em 1930 (ano da realização da competição), completou os 100 anos de independência do país.

E a segunda é que Celeste veio de um bicampeonato olímpico (1924 e 1928). Por isso, a FIFA achou justo que o Uruguai tivesse a vantagem de jogar em casa na primeira Copa do Mundo.

 

3-A maior zebra do futebol nas olimpíadas

As zebras são comuns na história do futebol, talvez seja essa imprevisibilidade de resultados que torna este esporte tão fascinante. E quando se trata de zebras nas Olimpíadas, ninguém se lembra do desenvolvimento histórico da seleção de Camarões em Sydney nas Olimpíadas de 2000.

Após a fase de grupos com 5 pontos na segunda colocação, o Team Camarões marcou nas quartas-de-final sobre o poderoso Brasil, até então com 4 campeonatos mundiais o país já era temido mundialmente.

Mas Camarões não se intimidou com o histórico do adversário e Mboma abriu o gol apenas 17 minutos após o inicio do primeiro tempo, a partir daí a equipe se concentrou apenas em defender e segurar o resultado, mas já no final, aos 94 minutos.

Ronaldinho empatou para o Brasil e trouxe a disputa para a prorrogação. Naquela época, ainda se aplicava o critério do gol de ouro, ou seja, na prorrogação de 30 minutos, quem acertar primeiro vence a disputa. E assim conseguiu, com dois jogadores a menos, em um contra-ataque fatal, Mbami marcou o gol da classificação camaronesa.

Na semifinal contra o Chile, mais emoções do que sofrer um gol aos 78 minutos do último terço da partida, parecia que a trajetória dos Camarões terminaria aí.

Eles apenas se esqueceram de avisar os jogadores sobre isso. Com um golo de Mboma aos 84 e outro de Lauren aos 89, os Camarões recuperaram de forma histórica e chegaram à final da competição frente à Espanha.

Como de costume em um jogo nos Camarões, o roteiro final foi cheio de emoções. Depois que a Espanha abriu por 2 a 0 no primeiro tempo, tudo caminhava para uma vitória tranquila para a seleção europeia. Então, no segundo tempo, com um gol contra do zagueiro Amaya aos 52 ‘e um gol do atacante Eto’o aos 59’, Camarões estava de volta à corrida.

A Espanha ainda estava com dois jogadores a menos do tempo regulamentar, mas conseguiu manter o empate na prorrogação. Os campeões seriam então decididos nos pênaltis.

Camarões converteu todos os pênaltis e tornou-se campeão após outro erro de Amaya, que chutou o pênalti na trave. E assim a maior zebra da história do futebol foi escrita nas Olimpíadas.

 

4-O único título da Bélgica

Você provavelmente já ouviu alguém se referir à Bélgica como a Promessa Eterna. Eles têm esse apelido porque se destacaram como favoritos em muitas das competições em que participaram, mas quase nunca conseguiram confirmar essa preferência.

Mais especificamente, eles conquistaram apenas um título em toda a sua história em 1920 e desde então frustraram aqueles que apostaram nele.

O único título que ganharam foram as Olimpíadas de 1920, que disputaram em casa. E embora este seja o seu único trunfo, há quem pense que este torneio foi um verdadeiro congestionamento, visto que foi marcado por vários erros do árbitro a favor dos belgas.

Mesmo na final, aos 43 minutos do primeiro tempo, a Tchecoslováquia se recusou a continuar o jogo em protesto contra o fraco desempenho do árbitro.

Com a retirada da equipe, a Bélgica foi vista como a vencedora pela W.O. e levou a medalha de ouro para definir quem seria o medalhista de prata, um sistema confuso foi criado, mas no final foi a Espanha que levou a prata.

 

5-A origem do termo “Gol olímpico”

Muitos pensam que o termo gol olímpico se originou nos Jogos Olímpicos. Outros acreditam que o gol marcado na cobrança de escanteio ganhou esse nome porque acontece muito raramente, como acontece nas Olimpíadas, que só acontecem a cada quatro anos.

No entanto, ambas as afirmações estão incorretas. Mas, embora indiretamente, o termo tem uma referência aos Jogos Olímpicos.

Tudo aconteceu em 1924, a seleção uruguaia acabava de voltar de Paris, onde conquistou o ouro olímpico. Os argentinos, que optaram por não ir para a França, lamentaram a decisão ao ver o Uruguai ser homenageado pela vitória na competição.

E os Hermanos reclamaram, de forma muito amarga, que o Uruguai sagrou-se campeão de futebol nas olimpíadas só porque não competiu e que o melhor time do mundo foi a Argentina.

Depois de muita insistência argentina, os uruguaios cederam e chegaram a um acordo para ir a um amistoso para decidir quem era o melhor. A Argentina venceu aquele jogo por 2 a 1, o gol da vitória que marcou foi Cesáreo Onzari, direto do escanteio.

É o que os argentinos chamam de golo olímpico a este golo porque, para eles, o verdadeiro campeão olímpico era definido neste jogo.

Os melhores jogadores do mundo de todos os tempos

* Curiosidade bônus: Os argentinos sempre desprezaram a vitória do Uruguai em 1924, já que o Uruguai supostamente só ganhou porque a Argentina se recusou a participar da competição. Porém, 4 anos depois, nos Jogos Olímpicos de 1928, a Argentina chegou à final da competição, onde perdeu por 2 a 0 para o Uruguai.

 

Veja também nossos outros artigos sobre:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *